Atividade in vitro do óleo essencial de Orégano (Origanum vulgare) sobre a eclodibilidade de ovos de helmintos gastrintestinais de cães

Luciana Laitano Dias De Castro, Rosaria Helena Machado Azambuja, Isabel Martins Madrid, Maria Elisabeth Aires Berne, Marlete Brum Cleff

Resumo


A fitoterapia vem sendo, a cada dia, mais estudada cientificamente, a fim de solucionar problemas relativos à saúde animal, sendo assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a ação inibitória do óleo essencial de orégano sobre a eclodibilidade dos ovos de helminto do gênero Ancylostoma, um dos principais parasitos do intestino delgado de cães. Para tanto, amostras de fezes de animais provenientes do canil do Hospital de Clínicas Veterinária foram coletadas e processadas no Laboratório de Parasitologia do Instituto de Biologia da Universidade Federal de Pelotas. A positividade das amostras de fezes para ovos do gênero Ancylostoma foi demonstrada através da técnica de flutuação de Willis. Para a recuperação dos ovos, as fezes foram maceradas, diluídas em água destilada e passadas através de quatro tamises, dispostos em ordem decrescente de abertura de malha (1 mm, 105 μm, 55 μm, 25 μm). Os ovos foram recuperados do último tamis, diluídos em água destilada e quantificados três vezes a partir de uma alíquota de 50 μL da suspensão. O teste de eclodibilidade foi realizado em placas de microcultivo de 24 poços, onde foram distribuídas seis concentrações (0,07 a 2,5%) do óleo essencial comercial de Origanum vulgare (Ferquima®), juntamente com a suspensão contendo aproximadamente 150 ovos do parasita. O ensaio foi acompanhado de um controle positivo contendo cloridrato de levamisol (0,2 mg/mL) e um controle negativo com água destilada. Todas as concentrações foram testadas em quadruplicata e as placas foram fechadas com filme plástico e incubadas em estufa a 28°C com 80% de umidade relativa por 36h. A leitura das placas foi realizada com o auxílio de um microscópio de luz invertida, sendo que a leitura iniciou pelo controle negativo, seguido pelo positivo e das placas com o óleo essencial. O controle positivo demonstrou 100% de inibição da eclodibilidade, enquanto que o controle negativo apresentou um percentual médio de inibição de 3,53%, demonstrando uma boa eclodibilidade dos ovos. Quanto às diferentes concentrações do óleo essencial de orégano foi observado percentual crescente de inibição da eclosão dos ovos de acordo com o incremento na concentração do óleo variando de 26,41% a 100%, nas concentrações de 0,07% e 2,5%, respectivamente. Na concentração de 0,15% a inibição da eclodibilidade permaneceu abaixo de 50% enquanto que as concentrações de 0,31%, 0,62% e 1,25% demonstraram um alto poder de inibição, sendo superior a 90% e atingindo 100% de inibição da eclodibilidade na concentração de 2,5% do óleo essencial. O óleo essencial de orégano, no teste in vitro, apresentou uma excelente ação ovicida, sendo necessários novos estudos para a caracterização cromatográfica dos compostos fitoquímicos presentes no óleo, bem como testes de toxicidade.

Palavras-chave


Óleo essencial; verminose; cães.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.