O processo de trabalho do assistente social na política habitacional: desvendando as possibilidades de mediação em São Borja

Mariela Aurora Dos Santos Sasso, Mariela Aurora Dos Santos Sasso, Cristina Kologeski Fraga

Resumo


IntroduçãoO trabalho ora apresentado consiste numa breve apresentação do Trabalho Final de Graduação em Serviço Social. O objeto de estudo é processo de trabalho do assistente social, na política habitacional do município de São Borja. Neste espaço, aborda-se as mediações construídas pelo assistente social no seu trabalho, vislumbrando o desvelamento da temática habitacional, que representa, hoje, uma das expressões da questão social, que necessita entrar na agenda de debate. Compõem-se do seguinte conteúdo: num breve histórico da política habitacional no Brasil, evidenciando as principais políticas voltadas para a habitação de cada período; a gestão da política de habitação no município de São Borja e o papel do assistente social neste espaço. Em especial, trata do processo de trabalho da estagiária em Serviço Social, evidenciando as possibilidades de mediação nesta política pública. Materiais e Métodos Os materiais que estão sendo utilizados são subsídios teóricos e metodológicos adquiridos durante o período de estágio em Serviço Social, na Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária de São Borja, teses, dissertações, artigos em meio eletrônico, livros voltados à política habitacional, ao trabalho do assistente social, para o entendimento das mediações realizadas por este profissional. Nesse sentido, a perspectiva teórica-metodológica que inspira esse trabalho é a dialética-materialista que compreende a historicidade dos fatos, sua totalidade e contradições existentes. Resultados e DiscussõesNesse trabalho, parte-se do pressuposto essencial de que a política habitacional é um direito de todo e qualquer cidadão e, não um favor. O papel do assistente social neste espaço público é de suma importância, pois, pode suscitar processos de emancipação e participação social dos usuários desta política para conquista e ampliação de direitos, tornando, dessa forma, a gestão mais democrática. Para tanto, é necessário ao profissional de Serviço Social não só compreender o contexto histórico que os usuários vivem, suas contradições e o movimento da realidade, como também, construir espaços de mediações junto aos usuários, desvendando os nexos de articulação possíveis na política habitacional.Conclusão A questão urbana é um desafio para todos os assistentes sociais, pois habitar na contemporaneidade é mais do que uma construção individual, é também uma conquista coletiva. No entanto, o poder público não está ainda preparado para responder as demandas de grande parcela da população brasileira, que vive aglomerada e em situações precárias de moradia. Nesse sentido, os assistentes sociais necessitam construir mediações no espaço ocupacional voltado à política habitacional, levando em consideração a existência real e concreta dos sujeitos, para dentro dos limites institucionais, lutar para que os usuários acessem seus direitos tendo em vista suas condições de vida, suas possibilidades de participação efetiva no processo de moradia

Palavras-chave


Palavras chaves: Processo de trabalho; Serviço Social; Habitação; Mediação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.