Mensuração Florestal Em EspÉcie De Pinus Elliottii

Vitor Hugo Suxo, Marcio Salomão Da Cruz Bastos, Gilson Flávio Silvério Dos Santos, Eduardo Pagel Floriano

Resumo


Uma das principais variáveis dendrométricas controladas nos inventários florestais é a altura. Há vários instrumentos e métodos com esse fim, desde aqueles mais precisos até os de fabricação caseira. A medição das alturas de árvores é rigorosa mesmo com equipamentos eletrônicos, o que afeta bastante os inventários florestais, pois o custo de alguns equipamentos é bastante elevado em relação a outros. O objetivo deste trabalho foi a comparação da precisão de instrumentos de custos diferentes e dos recursos para medição de árvores. Dentre os instrumentos, foram utilizados a campo um hipsômetro de fabricação caseira com custo mínimo, um hipsômetro clinômetro HEC-R com preço aproximado de R$ 1.030,00 e um hipsômetro Vertex IV com preço em torno de R$ 6.000,00.  As medições foram realizadas no município de São Gabriel - RS por três pessoas em 20 árvores a duas distâncias diferentes, sendo 10 e 15 metros. O povoamento foi dividido em dois sítios, sendo que no sítio um, era um povoamento único constituído por apenas árvores de bordadura, e no sítio dois o espaçamento era de 2x1. Consistindo em um experimento trifatorial 3x3x2, foi realizada análise de variância e teste de Tukey para comparar as medidas, sendo considerado o instrumento mais preciso o Vertex IV. Na análise de variância, foi constatado que teve como único fator significativo, os hipsômetros ao nível de 1,73% de probabilidade. Foi concluído que o Hipsômetro clinômetro HEC-R e o Vertex IV não obtiveram diferença entre medições, com praticamente a mesma precisão. Por outro lado, o hipsômetro de fabricação caseira mostrou-se inapto a ser utilizado com erro maior que um metro de altura.

Palavras-chave


Dendrometria; inventário florestal; mensuração florestal.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.